Problemas Práticos

 

Não houve muito mais naquele dia, apenas a despedida, a mãe de Maria a recolheu e disse ao seu futuro genro que ele voltasse para sua casa e ela cuidaria da sua filha não havendo mais nada com quê se preocupar.

ᵒ ᵒ ᵒ ᵒ ᵒ

Passando por Medeiros escutou que em exatamente um mês daquela data ele deveria retornar devidamente trajado e com as alianças e que sua filha estaria esperando ele exatamente naquele lugar para ser levada a Igreja.

ᵒ ᵒ ᵒ ᵒ ᵒ

A noite em sua cama, na casa de tia Carola, Leonardo começou a pensar nas coisas práticas que até aquele dia nem havia parado para pensar, a noite foi estupidamente longa como só os desesperados por um milagre sabem como são longas essas noites, onde, como, e se… tantos porém a se pensar, afinal de contas não se pode viver de amor, se vive por ele e muitos passam a vida inteira sem um, mas quando se encontra a primeira coisa é como por em prática ainda mais nessa situação e como um professor recém formado há apenas quatro meses no seu cargo de escola interiorana, sem posses, a única coisa que Leonardo possuía de sua era uma lambreta que talvez tenha sido a melhor coisa que fizera com o pouco dinheiro que sobrava enquanto trabalhava na capital para custear os seus estudos, e pensava, e pensava, Maria, apesar de toda a tirania de seu pai, tinha a sua disposição na casa da fazenda luxos que na época nem o Leonardo morando na cidade tinha.

Uma casa ampla e bem espaçosa com todos os confortos possíveis para os dias que corriam, luz elétrica, água quente, uma mesa farta e todas as facilidades que o dinheiro do pai garantia a sua família.

ᵒ ᵒ ᵒ ᵒ ᵒ

Tão logo acordou dirigiu-se a cozinha com a mesa posta, simples como toda família de trabalhadores da época, nada demais, pão caseiro, ovos, “chímia” colonial, um salame italiano e um café com leite para despertar, nada comparado ao que se encontrava no mesmo momento na casa de Maria com bolachas, alfajores e doce de leite uruguaios, queijos variados (bovinos e caprinos, produzidos na propriedade que também eram exportados), embutidos diversos, o quê hoje seria fácil de encontrar em muitos lares era uma raridade dedicada a poucos nos anos de chumbo.

ᵒ ᵒ ᵒ ᵒ ᵒ

Após o primeiro gole de café, Leonardo começou a contar a sua família “adotiva” o que tinha acontecido e se eles consentiriam em aceitar mais um membro naquele momento e desse modo, sua tia Carola falou por todos que ali estavam, o seu marido já de idade avançada em relação a esposa, foi um casamento tardio talvez apenas elaborado para que sua tia não morresse sozinha, e a filha adotiva do casal, Carola se casando somente após os 40 anos não teve a oportunidade de ter um filho, e a tia docemente aceitou o pedido do sobrinho.

ᵒ ᵒ ᵒ ᵒ ᵒ

 

<<<Primeiro Desfecho | Dia “D” >>>

Início

Anúncios

Uma resposta para “Problemas Práticos

  1. Pingback: Dia “D” | Quando estiver só...

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s